Dicas para redirecionamento de carreira

Um dos meus artigos em que obtive mais retorno foi o “Trabalho : você gosta do que faz ?”. Muita gente me retornou comentando o quanto ama (ou amou) o seu trabalho. Quase na mesma proporção, muita gente também me retornou dizendo que não se encontrou no trabalho, que ele significa apenas um meio de sobrevivência, e que não sabem como fazer a transição para uma nova carreira.

Sempre achei muito cedo termos que decidir nossa profissão aos 17/18 anos, quando prestamos vestibular. Não temos vivências e maturidade suficiente para escolhermos o que queremos ser “para o resto da vida”. Muita gente escolhe por exclusão : não gosto de biologia, então não quero medicina, também não gosto de matemática, então as engenharias estão fora… restou então a área de humanas.

Desta maneira, a chance de errarmos é menor, pois já excluímos o que não gostamos, mas isso quer dizer que acertamos ? No exemplo acima, a área de humanas é tão vasta… será que dá pra acertar de primeira ?

Para muita gente a resposta é não, e por isso, no decorrer de sua vida profissional, acabam descobrindo o que realmente gostam de fazer, o que lhes daria prazer, e aí pensam que já é tarde demais para mudar.

Minha resposta é que nunca é tarde para mudar. A não ser que você tenha tanto talento para o futebol como o Neymar, e hoje já esteja na casa dos 30 anos, não é tarde para mudar.

Acredito até que quando decidimos redirecionar nossa carreira, temos a vantagem de já termos vivido muitas experiências na vida profissional. A experiência e maturidade (o que faltava lá no inicio, lembram ?) vão lhe ajudar a escolher uma carreira mais adequada com seu perfil. O que é uma pena é você não tentar e se conformar com o que tem hoje apenas por questões financeiras. Você não vai querer provar o gosto de trabalhar em algo que realmente ama ?

Bem, minhas dicas são simples e curtas. Na verdade, muita coisa na vida é simples, o que não quer dizer que seja fácil. Mas na simplicidade encontramos grande sabedoria.

Minha primeira dica é : vá devagar. Conheço muita gente que nem sequer tenta mudar de carreira – embora morra de vontade de fazê-lo – simplesmente porque não acredita que seja possível. E não acredita porque acha que a coisa acontece de um dia para o outro. Não é bem assim. Imagino uma situação : você já com alguns anos de formado (a), casado (a), talvez com filhos, e o desejo enorme de redirecionar sua carreira. Vai jogar tudo pra cima de um dia pro outro ? Não vai. Então… vá devagar. Avalie as possibilidades, monte um plano de ação, procure a ajuda de um Coaching de carreira, se necessário. Uma transição bem feita não dura menos que dois anos, mas o importante é que ao acordar todos os dias você já sabe qual o seu objetivo e o que deve fazer para direcionar suas energias para ele.

A segunda dica é : aproveite seus contatos. Pode soar batido, mas com uma carreira já em andamento, você conhece muito mais gente do que quando iniciou a faculdade. Estas pessoas podem ajudar, aconselhar, lhe indicar para empresas que oferecem a vaga que você procura. Às vezes, na escola do seu filho pode haver um contato importante para você e você ainda não sabe. Converse com pessoas que atuam na área que você deseja, participe de encontros de networking. E seja solidário, seus contatos também precisam e vão precisar de você : trate-os da mesma maneira como você gostaria de ser tratado. Às vezes, tudo que um amigo seu quer é que você o apresente para alguém que você conhece, e você acaba adiando esta ocasião – que para você não significa nada e para ele significa muito. Coloque-se no lugar do outro : não custaria nada apresentá-lo para aquela pessoa. Por que você não o atendeu prontamente ? Lembre-se : você vai precisar de ajuda também.

A terceira dica é estudar. Se você parou seus estudos, retome-os. Seja uma especialização, um MBA, um curso à distância… não importa. O que importa é que você deve ser alguém atualizado dentro da área que você quer atuar. Hoje em dia existem muitos cursos à noite ou até mesmo à distância, o que viabiliza você manter seu atual emprego e já ir se aprimorando para a nova carreira. Se há um curso que você deseja fazer com duração maior e que coincide com seu horário de trabalho, opte por cursá-lo em suas férias. Você vai passar por uma fase difícil em casa, pois o cônjuge e seus filhos querem sua atenção, mas se você conversar com eles e explicar a situação, eles te darão grande apoio, pois também querem lhe ver feliz e realizado profissionalmente.

Outra dica importante : verifique se na própria empresa onde você trabalha hoje existe a possibilidade de uma transferência para a nova área. Se houver, faça contatos com o novo departamento, verifique as oportunidades que eles estão oferecendo, ou mesmo se voluntarie para ajudar fora do expediente de trabalho se for possível. Um bom relacionamento é tudo, e nessa hora fará grande diferença para você. Se houver abertura, converse com seu superior sobre a possibilidade de transferência para a nova área. Mas só se houver abertura, cuidado para não queimar o emprego que você tem hoje.

Uma 5a. dica que me ocorre é : faça uma poupança. Para alguns, a mudança de carreira pode ser a abertura de seu próprio negócio. Neste caso, aproveite enquanto você está empregado para poupar o máximo que puder para sua nova empreitada. Mais uma vez, conte com a ajuda de seu cônjuge e dos filhos, coloque seus planos para eles compreenderem por que poupar é mais importante neste momento.

Existem mais dicas, mas acredito que estas sejam fundamentais. Pense, amadureça, avalie o que você quer. Você vai descobrir que é possível, mas precisa saber o que quer e ter perseverança para alcançar o que deseja. Não desista mesmo que alguma pessoas próximas te digam que não vale a pena. Você não vai jogar tudo pro alto, lembra ? Vai seguir seu plano devagar… com firmeza, mas devagar.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest