Durante muito tempo eu pensei que, se as pessoas não concordassem comigo, eu deveria romper com elas. Eu cresci num ambiente assim, em que as diferenças são repreendidas, em que devemos ter concordância, senão não podemos ter convivência.

Algum tempo depois, com várias experiências de vida, com maturidade e mais idade, e convivendo com pessoas bem mais diferentes de mim, consegui aprender que podemos ter divergências, e ainda assim nos gostarmos. Podemos pensar diferente, e ainda assim convivermos bem.

Uma vez eu ouvi uma frase que me soou muito mal : “Quem não está do meu lado, está contra mim”. Achei este raciocínio um absurdo, e depois me veio à cabeça que o George W. Bush pensava assim, e desta forma, conseguiu parceiros para uma guerra que além de milhares de mortes, teve como resultado, a constatação de que as tão ameaçadoras armas de destruição em massa não existiam.

Mas analisando esta frase por outro ângulo – que não o do Bush, claro ! – vejo que cresci num ambiente muito próximo deste pensamento, e que por isso pra mim, foi uma grande revelação descobrir que não só posso conviver com pessoas que divergem de mim, como também que esta convivência pode ser muito sadia.

Normalmente nossas opiniões estão embasadas em nossas crenças e valores. Muitas das minhas crenças se provaram fracas, mas prezo muito meus valores. Por isso, resisti tanto em aceitar que posso conviver com pessoas de opiniões diferentes das minhas.

Na verdade, podemos ter opiniões diferentes e valores iguais. O mundo não é só preto e branco. É também cinza, azul, vermelho, amarelo…

Esta reflexão me fez ser uma pessoa mais leve, menos briguenta, mais tolerante. Quando vejo alguém insistindo num erro, só posso desejar que esta experiência gere um crescimento interior, que possa resultar na construção de um caráter melhor, de valores mais nobres, de um altruísmo que vencerá o egoísmo.

Aprendi que os conflitos podem ser administrados com sabedoria, com flexibilidade, aceitando que somos diferentes e que existem diferenças. E você, como administra seus conflitos ?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest