Você quer mesmo ser uma pessoa melhor ?

Todos podemos ser melhores. Quando digo podemos, me refiro a uma escolha, me refiro também ao potencia de cada um, à realização de um desejo, à mera opção disponível a todos nós de sermos melhores todos os dias.

Posso escolher ser uma pessoa melhor quando sou gentil ou quando resolvo estudar com afinco algum assunto que me fará melhor conhecedora de algo ou me proporcionará mais conhecimento para meus afazeres.

Posso também treinar para ser melhor em algo, porque como tudo na vida, é treinando que nos aprimoramos, vencemos limites, corrigimos erros, nos tornamos mais capazes.

Existem pessoas que acreditam que a vida é muito difícil. Sofrem muitas adversidades, desistem da caminhada ou de enfrentar os obstáculos. Talvez ainda não tenham percebido que também são os obstáculos que nos fazem melhores. E por isso não tentam algo novo, novas alternativas, novas maneiras de ver o mundo. Nem a reflexão de que algo novo só poderá acontecer mediante novas atitudes lhes ocorre. São pessoas tristes, conformadas, acomodadas – e os motivos podem ser muitos.

Mas existem também pessoas que simplesmente não querem ser melhores. Não sofrem adversidades, estão bem onde estão, se dizem realizadas em sua zona de conforto. Para mim, a zona de conforto nunca foi confortável, mas tem este nome porque é conhecida. E podemos escolher ficar na zona de conforto simplesmente porque a conhecemos e portanto, temos o domínio da situação – ou pelo menos imaginamos que temos.

Estas pessoas são inteligentes e capazes, mas simplesmente optaram por se acomodar com a vida que têm. Não têm ambições, não desejam nada mais do que já possuem, o que alcançaram já é suficiente para uma vida feliz. Não se incomodam em não crescer ou não se aprimorar, simplesmente porque do jeito que está, está muito bom.

Aprendi com o Coaching a buscar sempre novos objetivos e desafios, já que tenho o potencial para isto. Aprendi com a Psicanálise a me analisar e descobrir onde posso ser melhor, a ter mais consciência das coisas, a compreender que passamos por diversos processos ao longo da vida. E vivo uma vida repleta de novos desafios, sabendo que são minhas escolhas que irão resultar em novos desafios e novas escolhas, num ciclo infinito de aprimoramento interior.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest