É muito comum fazermos uma reflexão sobre a nossa vida a cada ano que se encerra. Alguns também aproveitam cada aniversário para este mesmo fim : refletir sobre mais um ano, onde erramos, onde acertamos, o que poderíamos melhorar, o que faríamos de diferente….

Alguns se viram em situações difíceis financeiramente, ou porque ficaram desempregados ou porque se viram obrigados a reduzir seus gastos e assim baixar seu padrão de vida. Outros tiveram problemas de saúde e lutam com bravura para superar um momento tão delicado. Uns se casaram, outros se separaram. Uns iniciaram novas carreiras, novos estudos, buscaram novas oportunidades. Outros mudaram de cidade, talvez de país. E outros deixaram as coisas exatamente como estão.

Cada ano que se encerra representa mais um aprendizado, por vezes mais doloroso do que poderíamos supor, mas ainda assim, uma oportunidade de nos aperfeiçoarmos, de sermos melhores, seja profissionalmente ou no trato com as pessoas ao nosso redor. Seja ao cuidarmos de nossa família ou ao cuidarmos de nós mesmos desenvolvendo hábitos saudáveis como exercícios, boa alimentação ou meditação.

Cada ano que se inicia representa um novo ciclo. Renovamos nossas esperanças de que tudo poderá melhorar, de que podemos dar e oferecer o nosso melhor, de que temos potencial para irmos muito mais além do que o habitual, testando nossos limites quando nos convém ou quando somos forçosamente convidados pela vida.

O resultado de cada ano vivido é amadurecimento, experiência, sabedoria. Mas também pode ser mais acomodação, mais teimosia, mais inflexibilidade. Depende do exercício de consciência de cada um. Depende do que nos propomos a fazer. Escolhemos viver ou existir ?

Viver é tomar as rédeas de nossas vidas, buscar nossos sonhos, estarmos conscientes de que para cada ato haverá uma consequência, seja positiva ou negativa. As escolhas nos propiciam amadurecimento, até mesmo pelo simples fato de que se escolhemos A, tivemos que abrir mão de B.
Existir é simplesmente ir levando a vida. A célebre frase : “Deixe como está para ver como é que fica” é típica de quem existe e só cumpre tabela de acordar mais um dia e cumprir as mesmas obrigações, seja no trabalho, seja com a família ou com as pessoas do seu convívio.

A escolha entre viver ou existir cabe a cada um de nós. Se neste ano que se encerra você chegar à conclusão de que existiu muito mais do que viveu, saiba que o novo ano que se inicia poderá lhe trazer uma nova oportunidade : a de viver.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest