Pior do que investir num casamento ruim e ele terminar, é não investir e ele permanecer ruim como está

As pessoas se casam por diversos motivos : para serem felizes, para formarem uma família, para melhorarem de vida, por amor, por dinheiro, por segurança, por reconhecimento, entre outras coisas. Mas podemos dizer que ninguém se casa para se separar.

Existe muita expectativa em torno de um casamento : será este (a) meu (minha) príncipe (princesa) encantado (a) ? Serei feliz ? Terei uma vida melhor ? Realizaremos nossos sonhos juntos ? Teremos filhos ? Formaremos uma família feliz ?

Com o decorrer do casamento, a rotina aparece – é inevitável. Muito do romance se vai, existem adversidades a serem vencidas como problemas financeiros, de saúde, familiares, crises existenciais… A rotina vai desgastando aquele sonho, afinal existem contas para serem pagas, filhos para serem criados, casa para ser limpa e arrumada, emprego para ser mantido, brigas com o chefe, desentendimentos com sogros e sogras. Enfim, a lista é grande.

Mas o casal vai aprendendo – se tem sabedoria e amor – a resolver os problemas. Percebem que “não é como era antes”, mas que há amor. Olham para o lado e encontram seu (sua) companheiro (a) de vida, constroem sonhos juntos, se fortalecem ao vencerem as adversidades. Consideram importante terem um tempo só para si, longe dos filhos e dos familiares. E assim vão regando o jardim daquele casamento.

Infelizmente nem todos conseguem vencer os obstáculos do casamento. Uns porque se casaram iludidos, outros porque não conheciam bem seu (sua) parceiro (a), outros porque deixaram as adversidades atrapalharem a vida a dois de forma que o laço do casamento foi se enfraquecendo, os olhares apaixonados foram diminuindo, as divergências na educação dos filhos foram aumentando, as interferências de sogros e sogras foram demasiadas… até que se perguntam : este casamento ainda tem jeito ?

Nesta hora vale a pena buscar ajuda, afinal, ninguém se casou para se separar. Havia um sonho a ser realizado, uma família a ser construída, muito foi vivido a dois – e sempre é tempo de melhorar uma relação.

Pior do que investir num casamento ruim e ele terminar, é não investir e ele permanecer ruim como está. Pode ser que você faça de tudo e mesmo assim não tenha mais volta. Mas pelo menos você tentou, percebeu que algo podia ser feito, refletiu sobre os valores de cada um, tirou conclusões a respeito da caminhada do casal, das conquistas individuais e também dos dois, refletiu sobre os ganhos e perdas daquela relação.

O risco de não investir e deixar como está é muito algo, muito doloroso e muito frustrante – o lema “vamos deixar como está para ver como é que fica” só desgasta mais ainda o casamento.

E se você investir e tiver uma grata surpresa, será um renascimento, uma nova chance para que os olhares se encontrem novamente, o jardim seja cultivado, o amor reapareça e a vida a dois continue a proporcionar amadurecimento a cada um.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest