Hoje li uma matéria que diz que aumentou muito o número de pessoas que moram sozinhas. Em alguns anos, o número de pessoas que moram sozinhas no mundo será maior do que o número de famílias. Na Suécia, 47% da população mora sozinha, e o Brasil está seguindo esta tendência. O que isto quer dizer ?

Na matéria em questão, pontos positivos de se morar só são exaltados : morar só leva a introspecção, e consequentemente ao auto conhecimento. Quem mora só recebe mais os amigos em casa, tem uma vida social mais ativa e ao mesmo tempo, preza sua independência.

São várias as circunstâncias de quem mora só : os solteiros querem liberdade, e ao conquistarem a independência financeira para viverem sozinhos provam também o quanto são auto suficientes. Existem separados e/ou viúvos, com idade mais avançada, que com o término da relação, não se sentem à vontade para morar com os filhos e optam então por viverem sozinhos. E há também os separados, mais jovens, que com o término da relação, se vêem morando sozinhos, muitas vezes refletindo na moradia o sentimento que já tinham mesmo quando ainda estavam casados : a solidão.

Interessante que a matéria não menciona outras questões de se morar só : o quanto nos tornamos individualistas nestas circunstâncias, o quanto desenvolvemos manias, e também, o quanto seria maravilhoso dividir a vida com alguém.

Acredito que podemos nos sentir sozinhos mesmo morando com alguém, e da mesma forma podemos nos sentir amparados mesmo morando sozinhos. Não acredito que a solidão seja privilégio de se viver sozinho, mas acredito que quem mora só, perde aos poucos a capacidade de fazer concessões, de abrir mão de alguns hábitos e/ou costumes em prol de outra pessoa.

Quando dividimos a vida com alguém, aprendemos que nem tudo pode ser do nosso jeito, que temos que abrir mão de algumas coisas nossas para que a relação cresça, e que existe um ganho muito grande na convivência diária.

Morar sozinho, em contrapartida, nos dá o direito de sermos preguiçosos, de fazermos apenas o que desejamos e de priorizarmos as coisas de acordo apenas com a nossa vontade.

O que concluo com esta tendência de se morar só, é que no fundo, no fundo, as pessoas estão menos tolerantes umas com as outras, estão mais voltadas para si mesmas, e por isso, ao primeiro sinal de conflito ou necessidade de se adaptarem a uma situação, havendo condições financeiras, a opção é por se viver do seu jeito, do seu modo, o que muitas vezes resulta em se morar só.

Na minha infância, eu dividia o quarto com a minha irmã mesmo havendo um 3o. quarto na casa. Só minha mãe tinha televisão no quarto, e por isso chegávamos a um consenso sobre o que a maioria queria assistir. Hoje cada um tem seu quarto, seu computador e/ou notebook e seu celular. Esta geração é mais independente, mas será que é mais preparada emocionalmente para dividir seu espaço ?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest