Algumas pessoas têm o hábito de acumular coisas durante a vida. Livros da escola, desenhos feitos na infância, roupas velhas, recibos de contas pagas há anos e outras coisas mais… de repente, quando se dão conta, estão com o armário lotado de coisas velhas ou desnecessárias que precisam ser jogadas fora. Será que estas pessoas estão prontas para jogar o lixo fora ?

Muitas vezes o lixo vai se acumulando por pura falta de tempo e disposição para uma organização. São pilhas de recibos de contas, anotações, livros já lidos e re-lidos que simplesmente não são jogados fora ou doados por pura falta de tempo.

Outras pessoas acumulam recordações que não querem jogar fora. Não falo de fotos ou objetos de valor que têm um lugar especial em nossa memória e em nosso coração. Falo de papéis sem utilidade, mas que para elas, de alguma foram, ainda contam uma história. Contas de luz de anos atrás, pra que guardar ? Pra lembrar como a luz era mais barata ou o quanto nosso consumo melhorou ou piorou ? E contas de telefone antigas, por que guardar ? Para lembrar de ligações antigas com pessoas que hoje já não temos mais contato ?

Uma amiga certa vez jogou fora todos os seus diários. Ela escreve muito bem, teve muitos diários na vida e resolveu reler todos antes de jogar fora. Acredito que esta tenha sido uma atitude libertadora : ler seu passado, rememorá-lo, tirar dali algumas conclusões, recordar momentos importantes e depois….jogar tudo fora. Existe muita vida ainda pra ser vivida e seguida adiante, por que ficar no passado ?

Quando organizamos as coisas, também nos organizamos. Eu por exemplo adoro lavar louça, já que não cozinho e este é o trato com meu marido. Quando chego para lavar a louça, separo o lixo orgânico do reciclado, acomodo os restos de comida em seus potinhos para a geladeira, separo a louça mais engordurada da louça mais leve e quando vejo está tudo em seu lugar. Quando faço isso, sinto que também estou organizando meus pensamentos. Ao organizar o externo, estou organizando o interno também.

A preguiça também merece ser vencida. Às vezes não temos apego nenhum à pilha de coisas acumuladas, mas temos uma preguiça enorme de mexer naquilo, de separar o que pode e o que não pode ir pro lixo, e assim, a pilha vai aumentando…

Jornais velhos, revistas antigas, apostilas de cursos… tudo vai se empilhando. Até que é bastante curioso ler uma revista velha, ver aquela notícia de política de um ano atrás e ver onde está aquele político hoje, se ele foi condenado, se saiu impune, se a história morreu ou se foi investigada… ás vezes dói ver como nosso país é lento em tantas resoluções que são tão importantes…

Mas jogar o lixo fora é fundamental. Arrumar uma gaveta, separar o velho do novo, o útil do inútil, o essencial do supérfluo é um grande exercício de desapego, de maturidade e por que não dizer de otimismo com o que ainda está por vir ? Você já jogou seu lixo fora ?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest