Vivemos dias turbulentos. A economia na estagnação/recessão, os custos cada vez mais altos, a água que pode faltar brevemente, a luz com a mesma ameaça, os empregos cada vez mais incertos e as pessoas cada vez mais inseguras financeiramente. As tragédias acontecendo tão rotineiramente que quase não nos abalam mais : ladrões queimando suas vítimas, maridos matando esposas e depois se suicidando, terroristas aumentando o terror por onde passam e expandindo cada vez mais sua área de atuação. E o homem cada vez mais perplexo…

Se olharmos localmente, vivemos um momento de crise. O dólar disparou, a inflação não está controlada, pessoas estão desempregadas e existe um misto de revolta e surpresa a cada novo capítulo do escândalo de desvio de dinheiro, que se antes era na casa dos milhões, agora é na casa dos bilhões.

Se olharmos pelo mundo afora, vemos o terrorismo crescendo, angariando cada vez mais adeptos fundamentados num fanatismo religioso que não pode explicar tamanha atrocidade. Esta semana um menino – sim, um menino – foi o executor, o algoz de mais uma vítima dos movimentos extremistas.

E no entanto é preciso cantar… como bem disse Vinícius de Moraes, “é preciso cantar e alegrar a cidade”. Não como se nada estivesse acontecendo, ou como se fôssemos bobos alegres e não estivéssemos a par da realidade. Cantar no sentido de seguir em frente, no sentido de acreditar que tudo pode ser diferente, que tudo pode ser melhor se fizermos a nossa parte.

O meio é produto do homem e não o homem um produto do meio. A partir desta premissa, sabemos que um homem melhor faz um meio melhor. E é neste homem que acredito. O homem que trabalha, ama, cuida de sua família, é correto, compartilha com seus amigos de suas esperanças, educa bem seus filhos, dá o exemplo de honestidade.

Numa das charges da internet, havia Moisés, Jesus e Maomé conversando, olhando para este mundo em guerras e conflitos e dizendo : “Mas não deixamos uma mensagem de amor ?”. Em outra charge, a mensagem era clara : “Pais, eduquem seus filhos. A escola lhes dará informação, os filhos devem vir educados de casa”. Nada mais assertivo para os dias atuais.

Apesar de tudo, não perca as esperanças. Acredite que tudo pode e vai melhorar. “Não cai uma folha de uma árvore se Deus não permitir”.

Que possamos continuar cantando nossa melodia na certeza de que fazendo nossa parte em nossa casa, em nosso trabalho, com nossos amigos e com todos ao nosso redor, estamos contribuindo para que tudo melhore. Isto depende de cada um de nós. Boa melodia e boa caminhada !

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest