Todos nós queremos ser feliz ! Para alguns, a felicidade se expressa em prosperidade financeira : uma linda casa, um carro importado na garagem, viagens frequentes ao exterior, consumo em lojas e restaurantes caros e por aí afora.
Para outros a felicidade se expressa pela carreira profissional : um grande cargo numa grande empresa, conquistado depois de muito esforço, muito estudo, muita dedicação, muita resolução de conflitos, algumas puxadas de tapete, talvez alguma bajulação junto ao seu superior, muitas horas mal dormidas devido à tanta dedicação aos relatórios para a empresa.
A felicidade está na conquista do amor, numa vida afetiva feliz, numa família estruturada, dirão outros. Filhos bem criados, valores  de retidão e caráter bem estimulados, respeito, confiança e cumplicidade com seu cônjuge e com seus filhos.
Só é feliz quem tem saúde, dizem muitos. Afinal, de que adianta muito dinheiro, uma carreira bem sucedida, uma família bem estruturada se não se tem saúde ? Na ausência de saúde percebemos o quanto somos frágeis e vulneráveis, o quanto muitos de nossos valores podem ser repensados e reavaliados, uma vez que a saúde é um bem muito precioso e que muitas vezes é preciso que nos falte para que possamos perceber seu real valor.
Todos nós merecemos todas estas conquistas, por que não ? Mas uma coisa é importante ressaltar : o quanto idealizamos cada uma delas. O quanto podemos nos tornar dependentes de realizações externas,  deixando de lado nosso caráter e nosso aprendizado. Afinal, mais importante do que a conquista é a caminhada, o caminho percorrido para chegarmos lá.
A idealização nos faz imaginarmos o sucesso apenas nas conquistas materiais, por exemplo. E neste caso, se a prioridade que elegemos é esta, não pode ser a conquista de uma casa simples ou de um carro qualquer, tem que ser A casa e O carro. Da mesma forma, idealizamos nossa carreira, achando que quando chegarmos lá tudo será diferente, agora vamos mandar e não mais obedecer…. doce ilusão. Pra alguém você vai ter que responder, nem que seja para o Conselho ou para os acionistas da empresa.
A idealização afetiva também acontece. Pensamos que nos casamos com o Príncipe ou a Princesa encantados para descobrirmos, não muito tempo depois, que nosso cônjuge tem tantos defeitos ou mais do que nós. Idealizamos também a saúde na forma de exercícios pesados, dias e dias na academia, dietas mirabolantes, vitaminas e nutrientes sofisticados, que nos garantirão a saúde perfeita !
Cuidado com as idealizações ! Sua casa pode não ser uma mansão mas é a melhor casa do mundo porque é sua, porque tem a sua cara. Seu carro pode não ser importado, mas atende você e sua família muito bem, com conforto e segurança.
Da mesma forma, sua carreira não pode ser o centro de sua vida, quando você deixa sua família de lado e nem percebe que seus filhos estão crescendo, mudando de fase, conhecendo o mundo e apreciariam muito se tivessem sua companhia nas diversas fases da vida deles. Assim como uma boa saúde não precisa ser sinônimo de um corpo sarado ou de uma dieta especial, cheia de vitaminas e nutrientes artificiais, quando na verdade o que lhe daria saúde seria simplesmente cultivar e comer uma fruta do pé.
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest