Temos um conhecimento ativo, referente a tudo o que nos cerca e que nos é importante principalmente em determinado momento. Por exemplo, aprendi que uma caneta é uma caneta desde a infância. Fui crescendo, adquirindo novas experiências, mas ainda sei que uma caneta é uma caneta. Este conhecimento então está consolidado em mim.

Em outra situação, vou numa loja e sou atendida por um vendedor que me diz : “Meu nome é Pedro, se precisar de mim, estou à disposição”. Durante todo momento em que eu estiver na loja, vou solicitar ao Pedro novos modelos ou novas cores e tamanhos para a roupa que me agradou. Enquanto estou ali, me lembro que o vendedor se chama Pedro, e por isso, este conhecimento é ativo para mim. Se fui bem atendida e desejo voltar naquela loja, o nome daquele vendedor ficará consolidado para mim, pois quando eu voltar àquela loja, desejo ser atendida por ele. Mas se o atendimento nem foi tão bom, ou se não encontrei na loja a roupa que eu gostaria, em uma semana não lembrarei mais do nome do Pedro. Aquele conhecimento era ativo para mim enquanto eu estava na loja, ao não necessitar mais daquela informação, o conhecimento não se transformou em consolidado.

E o que são nossos valores ? São conhecimentos consolidados que introjetamos, pois reconhecemos que significam algo para nós. Por exemplo, minha “tia” do pré primário se chamava Cecília, e lembro do nome dela até hoje porque ela foi marcante para mim. Mais de trinta anos se passaram, mas ainda me lembro do nome e do rosto dela. Eu introjetei isto, ela virou valor para mim.

O mesmo acontece com nossos comportamentos : se admiro uma pessoa simpática, se tenho uma experiência boa sendo simpática, introjeto este valor e sou uma pessoa simpática também. Da mesma forma, se admiro uma pessoa econômica, por vezes mesquinha com dinheiro, introjeto este valor em mim e passo a ser uma pessoa econômica também.

Estamos em contato com nossas crenças e valores o tempo todo e re pararmos para refletir, nos questionamos sobre estas crenças e estes valores em nosso dia a dia. Frequentemente nos deparamos com crenças e valores que não desejamos mais, e aí, através de uma conscientização interna, nos livramos de antigas crenças e valores e introjetamos novas crenças e valores.

Mas então a mudança se efetiva desta forma ? Simples assim ? Simples assim, mas não é fácil. Estamos falando de anos e anos de comportamentos, crenças e valores assimilados por nós. E o mais interessante é que de acordo com nossa caminhada, com as experiências que vamos colhendo, mais temos a oportunidade de melhorarmos e nos moldarmos de acordo com nossa nova visão de vida.

Mas sempre melhoramos ? Melhoramos se quisermos, se identificamos que isto será melhor para nós. De fato muitas pessoas nascem e morrem do mesmo jeito, o “pau torto morre torto”, porque aquela pessoa não despertou para a mudança, não reconheceu que valeria a pena mudar para colher novos resultados em sua vida.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest