Esta semana tive a oportunidade de ler um artigo da coach de carreira Patrícia Sakavicius e preciso compartilhá-lo aqui. Ela fez o seguinte experimento : dividiu em dois potes o mesmo arroz, num deles escreveu amor, no outro ódio e durante um certo período, emanou vibrações de amor e ódio de acordo com cada pote. Você já pode imaginar o que aconteceu…

O pote de amor ficou com o arroz branquinho e em algumas partes com tons de rosa. O pote de ódio ficou preto, escuro, feio mesmo. A conclusão dela é simples : nossas palavras têm poder. Porque ao emitirmos as palavras, também emitimos as vibrações correspondentes a elas, vibramos de acordo com os sentimentos correspondentes àquelas palavras.

Se você tem dúvidas, ao fim do artigo tem o link do artigo em questão onde ela explica detalhadamente como fez o experimento. Mas se mesmo assim a dúvida permanecer, minha sugestão para você é simples : faça você mesmo. E você verá como são surpreendentes as vibrações de amor e ódio que emitimos, e aí poderá fazer uma correlação muito importante : se isto acontece com o arroz, não é difícil imaginar como isto se processa com os seres humanos.

Quando você participa de uma discussão, de uma briga, você fica mal, por vezes aquilo te abala muito, as vibrações da briga não fazem bem para você. E o contrário também é verdadeiro : num momento de amor, alegria, felicidade, as vibrações são diferentes, você se sente leve, pleno, realizado.

A partir deste experimento, não só concluímos que as palavras têm poder, como também que o meio é fruto do homem. Por isto, cada ação nossa irá gerar uma consequência, tudo tem um por quê e na maioria das vezes, é fruto de nossas atitudes.

Existem pessoas que brigam porque aprenderam que têm razão e o mais importante é provarem que estão certas. Outras não brigam mesmo estando certas, porque já perceberam que o não brigar é sinal de sabedoria. Como já disse Ferreira Gullar, “eu não quero ter razão, eu quero é ser feliz”.

Por isto este experimento é tão sensacional : porque de uma maneira singela, nos mostra o bem ou o mal que podemos fazer aos outros e a nós mesmos. E a partir daí, com este conhecimento, podemos assumir nossas responsabilidades para o nosso sucesso e para o sucesso dos outros ao nosso redor. Você tem incentivado seu filho ou já decretou que ele não é bom o bastante ? Você consegue acolher seu marido num momento de incerteza ou exige dele que ele seja ninguém menos que o super homem ? Você consegue enfrentar suas limitações ou fica se culpando por não ter conseguido ainda um emprego melhor ?

Estes são apenas alguns exemplos de questionamentos em relação a nossa postura perante a vida e suas adversidades. Superá-las nos fará mais fortes, mas ter consciência de que podemos modificar o meio através de nossa conduta e de nossos exemplos faz toda a diferença.

Em tempo : segue o link do experimento da Patrícia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest