Se ainda não aconteceu com você, certamente acontecerá. Você se vê vivendo uma mesma rotina há anos : trabalhar, pagar as contas, dormir, cuidar dos filhos e da família, comprar, fazer dívidas, trabalhar mais, dormir menos, usar a roupa da moda, ter um carro zero, crescer na carreira… até que em algum momento você se pergunta : por quê ? Para quê ?

Deve haver algo mais do que só trabalhar, pagar as contas, dormir, cuidar dos filhos…. A vida é muito maior do que isso. As oportunidades nos aparecem diariamente. Oportunidades de quê ? De reflexão, crescimento, amadurecimento.

Alguém um dia lhe disse para se casar e ter filhos. Para se formar e ter uma carreira. Para comprar casa, carro, cuidar da família… se adaptar à sociedade em que você vive.

Mas será que você quer mesmo só trabalhar e pagar as contas ? Quer mesmo casar e ter filhos ? Precisa andar sempre na moda ou ter o carro do ano ? Ou será que gostaria de ser mais livre, ter a liberdade de fazer as suas escolhas sem se importar com o que os outros vão dizer ?

A sociedade é tão importante assim ? A opinião dos outros é mais importante que sua própria satisfação pessoal ? Precisamos mesmo trabalhar com o que não gostamos porque o salário é o mais importante ? Precisamos mesmo ter filhos se não o desejamos ? Precisamos mesmo ter carro mesmo que desejemos ser mais ecológicos ?

Este sentimento acontece quando você se vê preso à mente coletiva, a padrões previamente definidos pela sociedade e aceitos coletivamente como sendo o resultado de ser bem sucedido. Mas morar num sítio e viver modestamente não pode ser o seu conceito de ser bem sucedido ? Ter uma ocupação que te dê mais prazer do que dinheiro, se for o caso, não seria o mais importante ?

Devemos lutar para sermos livres, para podermos tomar nossas próprias decisões desde que tenhamos responsabilidade para as consequências. Se por acaso for uma má escolha, arque com as consequências, mas saboreie seu poder de decisão. Aprenda com seus erros, tome novas decisões. Erre, acerte, mas seja livre. Defina o que é importante e o que é prioridade para você – e não para a sociedade !

Afinal de contas, a felicidade é um conceito muito individual e particular. Não deveria caber à sociedade a autoridade para lhe dizer se você é realmente feliz. Só você saberá – internamente – se é feliz, algumas vezes se adaptando à sociedade, outras vezes moldando seus próprios padrões e desejos. Mas tendo coragem para tomar suas próprias decisões !

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest